Sábado, 24 de Julho de 2010

 

 Passaram cerca de 3anos desde que conheci o João, desde que transferi o meu blog aqui para o sapo, desde que fui para Inglaterra (embora esta tenha sido ligeiramente depois das duas primeiras), desde que muita coisa...

Ao mesmo tempo que 3anos, me parecem "nada", pois parecem ter passado a correr, tambem me parecem os mais longos...

 Eu acho que cresci, não sei, sinto-me mais mulherzinha, é verdade que continuo a detestar quando escrevem desta maneira, e ainda mais "ah sou mulher no corpo de criança" e montes de bla bla, porque isto é tudo muito giro, mas quando vamos a ver a pessoa continua uma autêntica criança...Prosseguindo, não me acho super adulta, apenas me sinto mais madura...

 Hoje em dia já não estou com o João, também já não estou em Inglaterra, acabaram também muitas das outras coisas, o blog aqui no sapo, continua...

 Foi dificil encerrar o capitulo do João, mas um bem necessário, ao meu amor próprio, à minha sanidade mental (sim ainda tenho um restinho), a mim enquanto mulher, enquanto pessoa...Mas consegui, ou melhor, ando a conseguir, e cá estou para contar a história, e hei-de continuar por muito tempo...Obrigada, mas muito obrigada à Lillith, que me tanto me ajudou, e continua a ajudar neste processo de "enterro" de uma relação tão complicada (pelo menos para mim), como foi esta que tive com o João (e digo para mim, pois talvez para ele não tenha sido nada complicada, não sei digo eu..).

 

 Estive meio perdida, tive uma certa adoração ao anjo caído dos céus, Lúcifer, consegui ultrapassá-la, não condeno ninguém que a tenha, nem mesmo os miúdos parvos (e sim miúdos parvos, porque era exactamente o que eu era nessa fase, uma miúda parva), esses tais miúdos parvos, irão um dia crescer e ultrapassar essa fase, outros talvez não, talvez gostem mesmo de Lúcifer; não sei, não me interessa...Mais uma vez a Lillith ajudou-me, pois viu que me estava a afundar em algo que não era bom para mim mesma, e deu-me a mão de forma a que eu não me afogasse nessa fossa enorme de bosta, também devido às pessoas que conheci nesses meios, pessoas que felizmente não lêm este blog, pessoas que felizmente já nem se lembram de mim...Óptimo, também farei por me esquecer deles (ou não)...

 

Estive em Inglaterra, aprendi a falar inglês, e embora ainda hoje tenha uma certa aversão a esta lingua, estou grata por a ter aprendido, pois sei que me será útil no mercado de trabalho, hoje, já não estou em Inglaterra, senti necessidade de sair, senti necessidade de me afastar da minha mãe, porque sempre me senti rejeitada, porque mesmo hoje em dia me sinto rejeitada por ela, talvez seja da minha cabeça (eu acho que não), mas ainda assim precisava de me afastar daquele ambiente, agora, neste preciso momento, estou a viver em Portugal, estou a estudar turismo, amanhã? Amanhã não sei, o tempo o dirá...Quero dizer aqui (e não apenas), que apesar de tudo, amo a minha mãe...

 

Estou neste momento em Portugal, moro na casa do meu pai, eu e o meu pai temos uma boa relação filha-pai, pai-filha, aos poucos ele vai entendo que já não sou a menina que ele viu partir com 8anos (pai, já passaram 10anos), e embora lhe seja complicado, ele está a aprender a deixar-me respirar, pois viu que as asas de protecção que ele tinha à minha volta me deixavam de uma certa forma sufocada...É verdade que ao vir para Portugal, perdi também todas as minhas equivalências (estive lá a fazer o secundário, apenas por fazer - pelos vistos), portanto entrei num curso profissional de turismo, no geral gosto daquilo, a turma podia ser melhor, tenho medo que devido à turma problemática que tenho, eu e mais uns quantos (somos muito poucos) que estamos ali verdadeiramente para estudar, fiquemos sem curso, sim, tenho mesmo esse medo... No entanto ali estou, e estou a batalhar pelo meu futuro, quando o acabar (o curso), pretendo ingressar na faculdade, para estudar "estudos asiáticos", a minha paixão pela medicina veterinária continua, mas sei que terei de a deixar para mais tarde...

 

 Ao longo destes três anos, houve bom e mau (muito mau), cheguei a pensar em acabar com tudo, peço desculpa ao meu pai, pois sei que ele sofre muito com estas minhas alturas, não consigo imaginar o quanto ele sofre, apenas consigo imaginar que sofra muito, mas mesmo muito...Peço-te desculpas, e obrigada pai, Amo-te. No entanto, cá estou, e cá estarei se o meu destino, assim o permitir...Para contar a minha história, ou pelo menos, parte dela...

Ao longo destes 3anos, conheci muita gente, perdi muita gente, a esses que partiram, que durmam em paz

 

Continuo a amar escrever, continuo a amar o céu e a lua, e apesar de tudo amo a vida...

 

 

 

Published by Isis Erzsébeth Báthory às 08:51
link do post | Give your input | | | favorito

Wow!

Amei o texto. Não esperava ler algo assim!

Fico feliz por ti, por pareceres, dentro do possível, estar bem!

Não estudei turismo, mas gestão hoteleira, estamos próximas profissionalmente! Quem sabe um dia trabalhamos juntas! :)


Gosto de te ler, como sabes. E tal como já é hábito, por aqui permaneço...


Um beijo
Teresa a 26 de Julho de 2010 às 01:32

quem sabe querida? talvez nos encontremos um dia lol...
fico contente por saber que gostaste de ler...
Bisous gosto de te ter por cá e tu sabes disso.


mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

13
14
15
16
17

19
21
22
23

25
26
27
28
29
30
31


últ. comentários
Since the very first moment that I felt you inside...
I love you too the problem with me is that I never...
Sou enfermeiro no Brasil, pós graduado, revoltado ...
Ora aqui está um verdadeiro retornado do outro mun...
Há mais quem volte, quem também goste de túmulos, ...
Ton petit coeur m´a fait peur!!Ce sont des verses ...
Ao longo do tempo temos fases de maior apego ou in...
Vim agradecer e retribuir a visita. Continue a ler...
And never look back! She didn't lose everyone... T...
Eu mudei... Mudei muito... Mas para melhor eu acho...
links